Presidência portuguesa consiga reunir todos os 27 Estados-membros em questão do Kosovo

“A União Europeia está em uníssono relação a questão do Kosovo”, declarou hoje o Ministro português de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, durante a Conferência de Imprensa realizada esta manhã, após a sessão de trabalho dos Ministros dos Negócios Estrangeiros, em Viana do Castelo. De acordo com Luís Amado, o resultado do encontro foi muito positivo e ele também destacou o apoio incondicional de todos os países da UE para os esforços do Embaixador Wolfgang Ischinger, também presente na reunião, em Viana, no processo de negociação para o estatuto do sérvio província de Kosovo. https://eu2007.pt

“Esta é a primeira vez que a UE está, assim, presente no processo, o resultado de uma tomada de posição em julho de Cagre sobre a Presidência portuguesa. Estamos em uma nova fase de negociações e os próximos meses são cruciais em termos de encontrar uma solução”, disse Luís Amado, acrescentando que esta é uma das grandes prioridades da Presidência portuguesa.

De acordo com o português MENE “a pressão neste momento está em ambos os lados, a Sérvia e o Kosovo, e eles devem tentar encontrar uma solução que possa ser implementado”. Para Amado, seria inconcebível para chegar ao final deste processo com a Rússia e os Estados unidos, com uma posição sobre o problema, sem a unidade da União Europeia.”

Luís Amado tem, no entanto, mostrado “otimismo”, afirmando que, no final, “e independentemente das opções sobre a mesa, o senso de responsabilidade política de 27 Estados-membros irão prevalecer e a credibilidade de Assuntos Externos da União vai sair reforçada”.

Para Javier Solana, este troika começou “com o pé direito”, mas é fundamental trabalhar diretamente com ambas as partes e também manter os prazos. “Eu gostaria de enfatizar que, em dezembro, os membros da troika, terá de apresentar um relatório das Nações Unidas. Portanto, faço um apelo para ambos os lados para empenhar-se a sério”, afirmou o Secretário-Geral do Conselho e Alto Representante para a política Externa e de Segurança Comum.

O comissário Olli também apontaram a necessidade de Belgrado e Prístina para usar esta fase de negociações e salientou o facto de a UE, nesta questão específica, a fala em uníssono. “Este é um Europeu questão que afeta o presente e o futuro do continente”.

Após a Conferência de Imprensa, os 27 Estados-membros terão um almoço de trabalho durante o qual o processo de paz entre Israel e Palestina serão discutidos, bem como a situação no Líbano.

O programa do encontro é fechado.